sexta-feira, 17 de junho de 2016

Índios artesãos são cadastrados em programa de artesanato em Cacoal

Aldeias indígenas da região de Cacoal (RO), município a 480 quilômetros de Porto Velho, estão sendo cadastradas no Programa de Artesanato Brasileiro (PAB). Os índios da etnia Paiter Suruí foram os primeiros a participar da iniciativa, que iniciou na última segunda-feira (13) e deve seguir ao longo da semana. O objetivo é auxiliar os artesãos indígenas na comercialização de artesanatos.

Segundo a coordenadora do PAB no estado, Wellida Sodré, cerca de 200 indígenas da etnia Suruí devem ser cadastrados, sendo que destes, mais de 120 são mulheres. "Ao se cadastrar, eles passam a ter segurança para retirar seus trabalhos de dentro das aldeias e expor em qualquer parte do País", explica.

O líder indígena Patanga Suruí destaca que a ação irá trazer melhorias para o setor, que é uma das  principais fonte de renda local. "Este é um projeto de grande importância para nós, pois nos dará segurança para trabalhar e garantir nosso sustento e ainda assegurar que nossas culturas e tradições serão repassadas para futuras gerações", disse.

Ainda de acordo com Wellida, as aldeias que queiram fazer o cadastramento precisam enviar ao PAB a lista dos interessados em participar do programa. "Estamos fazendo visitas em todas as aldeias que se escreveram, para fazer o cadastro dos artesãos interessados", revela.

Segundo a Superintendência Estadual da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel), com as ações do projeto, que teve início em março de 2016, o estado de Rondônia passa de 27º para 20º lugar em número de artesãos cadastrados no PAB. O estado é o terceiro colocado da região norte, além de estar à frente de Santa Catarina, Paraná e Maranhão. Em Cacoal, o programa é desenvolvido em parceria com a Fundação Cultural do município (Funccal) e Fundação Nacional do Índio (Funai).

Nenhum comentário:

Postar um comentário