sexta-feira, 10 de junho de 2016

Custo de vida sobre 7,3% em João Pessoa em cinco meses, diz Ideme

O custo de vida em João Pessoa subiu 1,30% no mês de maio em relação a abril. O percentual é medido pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC), divulgado nesta sexta-feira (10), pelo Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme). Com o resultado de maio, o percentual acumulado de alta no ano é de 7,30% e 14,64% nos últimos doze meses.

Segundo a pesquisa do Ideme, quase todos os grupos que compõem o Índice de Preços ao Consumidor apresentaram alta, exceto no transporte e comunicação – que teve queda de 0,27%. . A queda, segundo a pesquisa, se deve a deflação verificada nos preços médios do item veículo próprio, que foi de 0,36%.

O grupo alimentação apresentou acréscimo de 1,93% neste mês de maio/16. Os maiores aumentos de preços médios ocorreram nos seguintes itens: pescado (18,64%), tubérculos e raízes leguminosas (5,11%), cereais (4,50%), farinhas, féculas e massas (4,43%), açúcares e derivados (3,51%), hortaliças e verduras (2,43%), bebidas não alcoólicas e infusões (2,08%), frutas (1,63%), enlatados e conservas (1,47%) e óleos e gorduras (1,43%). Já a queda de preços médios ocorreu no preço do: frango e ovos (1,58%), carnes e peixes industrializados (1,51%) e sal e condimentos (1,17%).

O grupo artigos de residência registrou aumento médio de 2,48%. Este grupo foi influenciado principalmente pelos acréscimos de preços médios nos itens: TV e som (10,57%) e eletrodomésticos e equipamentos (1,70%). Já serviços pessoais, apresentou aumento de 1,74% devido aos acréscimos de preços médios nos itens: recreação (5,22%), serviços pessoais (3,27%) e fumo e álcool (2,74%).


No grupo saúde e cuidados pessoais, o Ideme identificou que houve aumento de 1,54% devido aos acréscimos de preços registrados nos itens: produtos farmacêuticos (2,85%), óculos e lentes (1,63%) e serviços médicos (1,03%).  Enquanto que o grupo habitação registrou aumento de 1,08% com elevação de preços médios nos itens: reparos (5,56%), artigos de limpeza (1,20%) e aluguel, condomínio e impostos (0,85%). Vestuário também sofreu acréscimo de preços médios de 0,46%, que foram verificados nos itens: calçados e bolsas (9,13%), joias e tecidos (6,57%), roupa de mulher (2,46%) e roupa de homem (0,68%).

Nenhum comentário:

Postar um comentário