segunda-feira, 13 de junho de 2016

Condenado por morte de estudante grávida tem prisão decretada na PB

O bacharel em Direito Luiz Paes de Araújo Neto teve a prisão decretada pela Justiça nesta segunda-feira (13). Ele foi condenado a 17 anos e seis meses em regime fechado pelo assassinado de Aryane Thais. A condenação foi do Conselho de Sentença do 1º Tribunal de Júri de João Pessoa, em setembro de 2013. Durante cerca de três anos, o condenado recorreu da sentença nos tribunais paraibanos e em Brasília, mas teve todos os pedidos negados.

A entrega dele à Justiça estava prevista para esta segunda-feira, porém ele desistiu por causa da presença da imprensa, família da vítima e de curiosos na frente do tribunal. “Se ele tem uma prestação a cumprir com a Justiça, ele vai fazê-lo. Mas esse carnaval que foi armado vai ser mais danoso para ele do que a própria pena”, disse o advogado de Luiz Paes, Genival Veloso.

Com a expedição do mandado de prisão, Luiz Neto pode ser considerado foragido e ser detido a qualquer momento. Porém, o advogado afirmou que vai esperar até o momento oportuno, provavelmente ainda essa semana. “Se foi expedido o mandado, que encontrem e que prendam ele”, declarou.

Relembre o caso

Luiz Paes de Araújo Neto foi condenado por assassinar, em 15 de abril de 2010, a estudante Aryane Thays Carneiro de Azevedo. Ele era o único suspeito de ter matado a adolescente por estrangulamento. O corpo de Aryane Thays foi encontrado às margens da BR-230, em João Pessoa, um dia após ter revelado estar grávida do réu. Ela estava sem blusa e com o zíper da calça aberta, o que para o Ministério Público foi uma tentativa do autor de confundir a polícia.

Durante o julgamento, a defesa sustentou a tese de que Luiz Paes é inocente. Em seu depoimento, Paes disse que conhecia a vítima há três anos e admitiu que esteve com ela na noite do crime. O bacharel em Direito informou que teve relação sexual com a vítima apenas uma vez e que soube, cerca de um mês depois, que ela estava grávida. Ele disse que soube da morte no dia seguinte, através de um amigo, que viu o fato na televisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário