quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Semtran explica algumas mudanças realizadas no transporte coletivo

Com a chegada de um novo prestador de serviços para o transporte coletivo no município, o Sistema Municipal Integrado (Consórcio SIM), o secretário municipal de Transportes e Trânsito (Semtran), Carlos Guttemberg, teceu algumas explicações a respeito de determinadas inovações.

Segundo o secretário, no transporte coletivo de diversas regiões brasileiras os usuários entram pela porta da frente dos veículos com a saída na parte de trás. Entre os motivos está a questão da segurança. Quando a pessoa embarca por trás e desembarca pela frente, a descida induz a passagem pela frente do ônibus para cruzar as vias. Quando o ingresso é pela porta da frente, a descida pelos fundos induz o cruzamento de ruas pela parte traseira do veículo. Isso é mais seguro e a pessoa conta com mais visibilidade dos veículos que vêm em sua direção.

O próprio motorista do ônibus conta com maior segurança na retomada do trajeto. Também para o cobrador a mudança é positiva, porque seu acento sofre menos atritos. A posição do cobrador na parte de trás é praticamente sobre as rodas. Isso incide em maior impacto e pode afetar a coluna do profissional com o passar do tempo. Também há a facilitação na comunicação entre cobrador e motorista, que traz mais segurança às ações. Também há maior segurança quanto a possíveis assaltos. Pois quando o cobrador fica na parte traseira as pessoas acabam ficando de costas para ele, o que pode facilitar o movimento de assaltantes.

A Semtran elucida mais uma vez sobre a aquisição de créditos no Cartão Leva-Eu. Quem ainda possui créditos deve procurar o sindicato das antigas empresas, o SET, para pedir ressarcimentos. Se a pessoa observar dificuldades para isso, poderá procurar o Procon ou a Procuradoria do Consumidor, no Ministério Público. Os novos cartões podem ser adquiridos apenas no stand do consórcio montado no Porto Velho Shopping, no segundo piso. Sendo nesta primeira fase o atendimento às empresas e às pessoas que pagam a tarifa inteira que poderão fazer o cartão e recarregar. Estudantes, idosos e portadores de deficiência serão atendidos a partir da próxima semana.

Sobre os ônibus articulados, Guttemberg explicou que o primeiro em circulação atenderá à zona Leste. Ele vai passar pela Avenida Mamoré, descer a Calama até a Farquar e entrar na Sete de Setembro, depois trafegará pela Nações Unidas, Amazonas e Guaporé até a Avenida Rio de Janeiro. Depois recomeçará o percurso pela Avenida Mamoré refazendo todo o circuito. Trata-se de um grande circular com a capacidade de transportar cento e sessenta pessoas. Sua circulação se dará apenas nos horários de pico, pela manhã nos horários mais críticos para a chegada aos locais de trabalho e escolas, na hora de almoço e à tarde. “Ele não vai ficar o dia todo circulando. Sua função é reforçar a demanda nos horários críticos”, explicou o secretário.

O ônibus articulado vai contar com ar condicionado e wi fi gratuito. Nem todos os veículos contarão com essas comodidades, apenas os executivos e os articulados. A Semtran estuda a possibilidade de liberação do wi fi para os demais veículos e isso ainda está sendo negociado. Quanto ao ar condicionado, por enquanto, apenas dez por cento da frota vai contar com essa comodidade. O secretário disse que a população deve compreender que ainda se trata de um serviço emergencial, mas mesmo para a licitação do serviço definitivo a questão está sendo pensada, pois os vários empresários que se apresentaram ao certame emergencial explicaram que o ar condicionado não funciona bem em ônibus urbanos. Isso em função do constante movimento de abrir e fechar de portas. “Também há os casos de muitos usuários que sentem necessidade de abrir janelas. Portanto, vamos aproveitar esse período do serviço emergencial para avaliar se devemos incluir essa exigência na licitação para contratação definitiva”, informou.

Por fim, quanto aos ônibus executivos, esclareceu que as rotas e valor de tarifa ainda estão em definição. “Os ônibus executivos, num primeiro momento das negociações, iriam funcionar sem a presença de cobrador, mas houve reivindicação por parte do sindicato dos trabalhadores, de forma que os veículos agora estão sendo adaptados, estão sendo instaladas catracas, que eles não possuíam. Será uma roleta pequena, como a que se vê nos ônibus executivos de Brasília”, explicou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário