sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Prefeitura está preparada para atender famílias que moram em áreas de risco

A Secretaria Municipal de Projetos Especiais e Defesa Civil (Sempedec) está preparada para atender todas as famílias que moram nas áreas de risco em Porto Velho, no caso de acontecer uma nova enchente do Rio Madeira. Quem garante é o secretário titular da pasta, Vicente Bessa. Ele afirma que sua equipe faz monitoramentos constantes e até já montou bases em pontos estratégicos.
O motivo do monitoramento, de acordo com Bessa, é que o nível do rio começou a subir nos últimos dias e atingiu 8,96m na terça-feira (12). “Estamos fazendo um trabalho preventivo para darmos o melhor atendimento possível a essas famílias, caso o Madeira venha a atingir ou ultrapassar a cota de 15 metros, quando ocorre o transbordamento”, explicou o secretário.
Prioritariamente, a prefeitura através da Sempedec está acompanhando a situação dos moradores que ocupam as regiões mais baixas na Capital e nos distritos. “Nesse momento nossa maior atenção está voltada para o distrito de Nazaré (baixo Madeira) e nove bairros de Porto Velho”, afirmou. Dentre os bairros, estão o Nacional, Balsa, Triângulo, Candelária e São Sebastião, além do distrito de Nazaré, totalizando quase 600 famílias.
Para agilizar a atenção aos ribeirinhos e minimizar o sofrimento das pessoas que por ventura vierem a ter suas casas invadidas pelas águas, a Sempedec montou bases nos distritos de Nazaré, São Carlos, Abunã e Porto Velho. Em caso de urgência e emergência, equipes estarão de prontidão para agir. Cada base está equipada com 100 barracas, colchões, cestas de alimentos e água mineral para entregar a quem ficar desabrigado.
Cavalcante
Uma atenção especial, segundo Vicente Bessa, está sendo dada a 49 famílias que desde a enchente de 2014 estão abrigadas em barracas na localidade de Cavalcante, entre São Carlos e Nazaré. Por ser uma região mais alta, as pessoas se mudaram ao local para escapar da cheia. Desde então, recebem alimentos, água mineral e kits de limpeza e de higiene pessoal. Ao todo, 2.589 famílias impactadas pela enchente histórica recebem esses materiais distribuídos pela prefeitura. 

Conforme a Defesa Civil Municipal, quando o Rio Madeira atingir a cota de 14 metros acima do nível normal será dado o alerta aos moradores das regiões de risco para procurarem locais seguros para morar. A prefeitura dará o apoio necessário, inclusive fornecendo veículos para fazer as mudanças. Desbarrancamento Outro trabalho realizado pelo Município (via Sempedec) é com relação ao monitoramento das áreas de desbarrancamento ao longo da margem do Rio Madeira até o distrito de Calama, na divisa com o Amazonas. “Foram detectados 40 pontos de risco”, informou Bessa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário