quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Polícia mantém segredo no caso de funcionária de call center; família vai protestar

A Polícia Civil não pode repassar detalhes da investigação do assassinato da jovem Suênia Souza, que foi baleada quando saía do call center onde trabalhava em Mangabeira, na Zona Sul de João Pessoa, no dia 7 de janeiro. A família está organizando pelo Facebook uma manifestação contra a violência e para que o homicídio seja esclarecido.

O delegado responsável pelo caso, Luiz Cotrim, disse nessa terça-feira (12) que o crime é apurado, mas não pode revelar detalhes para não prejudicar o andamento das investigações.

A jovem foi atingida por uma bala perdida na noite da última quinta-feira (7), em Mangabeira, na Zona Sul de João Pessoa, quando saía do trabalho. Imagens de câmeras de segurança localizadas perto de onde Suênia foi baleada e morta são usadas pela polícia para ajudar na identificação do responsável pelo crime.

A família da vítima está convocando a população para uma manifestação marcada para a quinta-feira (14) às 19h, em frente ao call center onde ela trabalhava, em Mangabeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário