sábado, 16 de janeiro de 2016

GOL corta 50% dos vôos para Porto Velho e deputados federais silenciam

Na semana em que completa 15 anos de sua criação, a Gol Linhas Aéreas confirmou o cancelamento de metade dos voos ofertados a partir de Porto Velho.
A partir de 15 de fevereiro, não teremos mais o voo 1122 que decola 12:40h de Porto Velho para Manaus, e o 1129 que decola para Cuiabá às13:30h.
Também o voo 2001 que liga Porto Velho a São Paulo (Guarulhos) às quartas, sextas e domingos, direto sem escalas, terá sua última decolagem no dia 19 de fevereiro.
A Gol registrou prejuízo líquido de mais R$ 2 bilhões no terceiro trimestre deste ano, mais de oito vezes maior que o prejuízo líquido de R$ 245 milhões registrado no mesmo período de 2014. Estima-se que quando consolidado o balanço total de 2016, o total do prejuízo da Gol, ultrapasse a soma dos R$ 3 bilhões. Somado o prejuízo dos 06 voos que opera a partir de Porto Velho, Rondônia tem uma parcela a ser considerada deste montante.
No total, em todo o país, a redução da oferta da Gol que em 2015 foi a companhia aérea mais pontual do Brasil, será de pouco mais de 6%. Ainda assim, ela é considerada a companhia aérea mais capitalizada do país, com mais de R$ 3 bi de caixa.
Na contramão da Gol e também das outras companhias aéreas, além da queda de 18% na tarifa média das passagens aéreas domésticas (R$ 290 reais em 2015), veio a disparada do dólar que no ano que findou teve seu valor cotado em quase o dobro de 2014. Esse cenário fez com que todo esse prejuízo viesse a tona, afinal, algo em próximo de 62% das despesas da aviação são pagos na moeda americana.
Porém, esse tenebroso cenário, não está ainda pior em razão do preço do combustível (qav), que no ano passado no Brasil chegou a custar R$ 3,85 o litro, e agora está em torno de R$ 2,20.
A Gol, está redirecionando a maioria dos voos para as cidades onde existe o incentivo da redução do ICMS cobrado sobre o querosene de aviação. Na região norte, nenhum Estado concedeu tal benefício para voos que não seja regional, ou seja, apenas aqueles voos entre dois ou mais aeroportos do mesmo Estado tem a isenção de parte do imposto. Nesse caso, além do Amazonas, também Rondônia e o Pará já possuem este tipo de lei.

Até o momento, as outras aéreas que operam em Porto Velho, não anunciaram cortes em voos a partir do Aeroporto Jorge Teixeira. De parte dos deputados e senadores componentes da bancada de Rondônia no Congresso Nacional, nenhum protesto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário