terça-feira, 22 de dezembro de 2015

UTI interditada após contaminação volta a funcionar em Vilhena

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do Hospital Regional de Vilhena (RO), a cerca de 700 quilômetros de Porto Velho, interditada temporariamente, na última quarta-feira (16), por causa da contaminação de uma superbactéria voltou a funcionar na sexta-feira (18).

Dos três pacientes contaminados pela bactéria Acinetobacter baumannii na unidade hospitalar, dois morreram e segundo o presidente da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), Jânio Marques de Souza, os óbitos não ocorreram em decorrência da contaminação pela bactéria.

De acordo com Souza, a bactéria foi descoberta no local no início do mês, por meio de exames que pesquisam a presença de bactérias no sangue. Após a confirmação em três amostras coletadas a coordenação geral da UTI, a direção clínica do hospital e a presidência da CCIH, se reuniram e decidiram interditar a unidade na última quarta-feira (16).

"Depois que nós removemos os pacientes para outros setores foi providenciada uma descontaminação total da UTI e coletamos amostras para confirmar que o ambiente estava livre da bactéria", explicou o médico.

A superbactéria identificada é multirresistente a antibióticos e por isso a medida foi necessária para que outros pacientes não fossem contaminados. Dos três pacientes contaminados pela Acinetobacter baumannii dois faleceram.

"Os óbitos desses pacientes não foram em decorrência da bactéria. O último deles que faleceu no sábado (19), já tinha um resultado de hemocultura negativo para essa bactéria e faleceu em decorrência da doença de base", afirmou Souza.

A UTI do Hospital Regional voltou a funcionar normalmente na sexta-feira (18). O outro paciente contaminado com a superbactéria continua internado na unidade. "Esse paciente está no isolamento da clínica masculina e está recebendo os cuidados recomendados com antibiótico e se tudo correr como o previsto e em mais ou menos uma semana ele deve estar livre da ação dessa bactéria", avaliou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário