quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Prefeitura adquire lancha para o Centro de Assistência Social atender região ribeirinha

A Prefeitura Municipal de Porto velho por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social – Semas e seu Serviço de Proteção de Atendimento Integral às Famílias – PAIF, adquiriu, por meio de convênio com o Governo Federal, via Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome – MDS, uma lancha, com capacidade para 12 tripulantes, para atender os serviços permanentes, ou seja, de rotina, do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) volante, que são prestados às famílias das áreas ribeirinhas do município de Porto Velho.
No entanto, conforme explicação do secretário municipal de Assistência Social, Solano Ferreira: “É uma lancha de estrutura muito boa, porém a engenharia dela, a estrutura, é marítima e não se adéqua a realidade fluvial do Rio Madeira: pedras, blocos de areias e troncos de madeiras. Devido a essa questão, a lancha teve uma avaria no sistema de direção e de hélice e com isso vai ser preciso fazer uma reforma, adequando-a para navegar em águas fluviais”.
A demora em adequar a lancha para navegar no Rio Madeira deve-se ao fato, segundo o secretário Solano Ferreira, da dificuldade que se teve para encontrar uma empresa que pudesse fazer o serviço, mas, enfim a empresa foi encontrada e assim que abrir o Orçamento 2016, em janeiro, será realizado o processo licitatório para que possa a reforma seja feita e assim atender a população ribeirinha do município com a equipe do CRAS volante. A lancha possibilitará deslocar a equipe de técnicos da Semas do CRAS volante com os serviços para atender a população ribeirinha que está mais distante e nos locais que não se tem acesso via estrada terrestre. Sem lancha a Semas para realizar esses serviços, depende da carona do Barco Hospital, e consequentemente, do seu cronograma de trabalho. Inclusive muitos desses serviços são determinações judiciais com prazo a serem cumpridos.
Equipe Volante Equipe Volante consiste em uma equipe adicional que integra um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) em funcionamento, com objetivo de prestar serviços no território de abrangência deste Centro, para famílias referenciadas a este CRAS. Essas famílias vivem em locais de difícil acesso, distantes desta unidade física, ou estão dispersas no território. A equipe volante é responsável por realizar a busca ativa destas famílias, desenvolver o Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e demais serviços de Proteção Básica, que poderão ser adaptados às condições locais específicas, desde que respeitem seus objetivos. A Equipe Volante é ainda responsável por incluir as famílias no Cadastro Único, realizar encaminhamentos necessários para acesso a renda, para serviços da Proteção Especial e para serviços de outros setores, sempre que couber.

Conforme a Tipificação de Serviços Socioassistenciais o atendimento às famílias residentes em territórios de baixa densidade demográfica, com espalhamento ou dispersão populacional (áreas rurais, comunidades indígenas, quilombolas, calhas de rios, assentamentos, dentre outros), no âmbito do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família, pode ser realizado por meio de Equipes Volantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário