terça-feira, 22 de dezembro de 2015

No meio da crise, Prefeitura e Câmara querem aumentar despesas com pessoal em mais R$ 4,5 milhões ao ano

Na maioria das vezes é em fim de ano que chegam aqueles projetos que podem agradar a alguns e desagradar outros, exemplo: no município de Pimenta Bueno,  “o Poder Legislativo municipal parece ter conivência com o prefeito Jean Mendonça”, pois foi votado em sessão extraordinária realizada na manhã da última  quarta-feira (16) o projeto de lei 1894/2015.

O projeto dispõe sobre a estrutura organizacional do poder executivo municipal que cria aproximadamente 200 cargos comissionados com salários que vão de R$ 1.000,00 a R$ 7.000,00.

Os cofres do município serão onerados em aproximadamente R$ 4.500.000,00 (quatro milhões e quinhentos mil reais) por ano. Em se tratando que o ano de 2016 é um ano político, fica ai a dúvida se isso possivelmente não seria para dar guarida a partidos e militantes em troca de apoio político.

O que se ouve nos bastidores é que o legislativo utilizará desses Cargos de Chefia Direção e Assessoramento Superior - CDS, Direção e Assessoramento Intermediário - DDI e Funções de Confiança FC para nomear assessores.

Na segunda-feira (21) foi votado em última votação no plenário da Câmara municipal e assim tomaremos conhecimento de quais vereadores compactuarão com esse “assalto aos cofres públicos do município”.

Todos sabem que atualmente no município de Pimenta Bueno o serviço publico passa por uma situação de calamidade, servidores de carreira (aqueles que carregam o município nas costas) há mais dez anos não recebem aumento, serviços básicos e obrigatórios a exemplo da saúde é precário, a população passa por vários tipos de privações, falta de medicamentos, raios- x interditado por exemplo. Vale ressaltar que até poucos dias a prefeitura estava inadimplente, impedida de receber recursos estaduais e federais por não conseguir honrar seus compromissos em dia.

Todos estão cientes em relação à crise que o país vive, e essa crise atingiu em cheio inclusive o município de Pimenta Bueno, pois o atual prefeito vive se queixando do momento econômico e da falta de recursos, e caso os vereadores aprovem o referido projeto de lei, estarão indo na contra mão da realidade que vive o município.

Segundo informações obtidas, atualmente, o município está próximo do limite prudencial de gasto com pessoal. Em caso de aprovação desse malfadado projeto o município possivelmente irá ultrapassar o limite de gastos com pessoal, podendo chegar a 57%, infringindo assim, a lei 101 de 2.000 – LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

Essa informação tem revoltado a população, inclusive servidores públicos que já se mobilizam para estarem presentes na próxima sessão e acompanharem o processo de votação desse projeto.

“Pode ser até legal, mas é no mínimo imoral e uma falta de respeito com a população e servidores efetivos municipais” disse um servidor que não quis se identificar, mas estará na sessão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário