terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Forte chuva deixa ruas, casas e lojas alagadas em Guajará-Mirim

O temporal que caiu na noite de domingo (20), em Guajará-Mirim (RO), a 330 quilômetros de Porto Velho, deixou várias ruas alagadas e intransitáveis. A chuva, que começou por volta de 20h, durou até a madrugada da segunda-feira (21). Em alguns bairros da cidade, a água invadiu lojas e destruiu mercadorias.

A comerciante Auxiliadora Ramos, que tem uma loja de confecções de roupas e calçados no Bairro Liberdade, estima que teve um prejuízo de aproximadamente R$ 20 mil. "A água entrou e não pudemos fazer nada. Conseguimos salvar parte da mercadoria, mas perdemos muita coisa. Ver o trabalho da gente ir pelo ralo é difícil. Espero que as autoridades possam fazer alguma coisa", diz.

O auxiliar de serviços gerais Antônio Pedro Costa, que mora no Bairro Serraria, conta que perdeu mais da metade dos móveis e agora pretende se mudar para outro lugar. "Perdi coisas que nem terminei de pagar ainda. Ficar aqui não dá, vou ter que mudar. Se der mais uma chuva dessas o pouco que tenho se perde de uma vez. E agora quem vai me ajudar a pagar minhas coisas? O prejuízo é grande", desabafou.

Testemunhas relataram que vários veículos ficaram atolados após o temporal. Também houve relatos de quedas de motociclistas e ciclistas em valas que estavam submersas pela água. De acordo com o Corpo de Bombeiros, várias solicitações foram feitas pela população, a maioria delas de moradores pedindo ajuda para levantar e carregar móveis das casas invadidas pela enxurrada.

Em entrevista à imprensa, o secretário municipal de obras, Everaldo Rodrigues, disse que reparos imediatos estão sendo feitos em vários bairros e um novo sistema de drenagem deve ser instalado nos principais pontos que foram alagados.

"Estamos realizando manutenção nos pontos mais críticos. Foi muita água e o sistema de drenagem não suportou. O trabalho de desobstrução ajudou a secar, mas não é o suficiente A prefeitura vai planejar as próximas ações e dar uma resposta para a população", afirma.

No último dia 15 de dezembro, outro temporal com granizo deixou um rastro de destruição no município. Na ocasião, várias casas foram destelhadas e a cobertura do estádio municipal João Saldanha foi arrancada pelo vento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário