terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Balanço da segunda Operação Azougue no rio Madeira em Porto Velho

Desencadeada na última quinta-feira (17), pela Secretaria de Estado de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), a “Operação Integrada Azougue II”, resultou na apreensão de 18 balsas, 18 motores, duas lanchas, duas espingardas, mercúrio, um rádio transmissor, além de outros materiais utilizados no garimpo ilegal.
Na ação, foram emitidos 17 autos de infrações, que juntos somam R$ 1.260.000 em multas. Uma pessoa foi presa em flagrante por porte de arma de fogo.
Cerca de 60 agentes, entre Polícia Militar, Polícia Civil, Exército Brasileiro, Marinha do Brasil, Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sedam) e Sociedade de Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (SOPH) atuaram no primeiro dia de operação. No segundo dia foram empregados 38 servidores.
Além de combater a extração ilegal de ouro no perímetro de 21 quilômetros da Área de Preservação Ambiental (APA) no rio Madeira, a operação também desobstruiu o canal de navegação do rio, de forma que o transporte de cargas, derivados de combustíveis e passageiros não seja prejudicado pelas balsas.
A operação Azougue é uma alusão ao material utilizado para separar as impurezas e o ouro garimpado. A primeira operação foi realizada no dia 11 de setembro e prendeu inicialmente 14 pessoas em flagrante por extração ilegal de ouro e outros crimes.
De acordo com o secretário de Segurança, Antônio Carlos dos Reis, as operações de combate ao garimpo ilegal não cessarão. Além as duas operações azougue, o Batalhão da Polícia Ambiental (BPA) realizou neste ano 31 operações de combate ao garimpo ilegal, no que resultou em 78 boletins de ocorrência ambiental (BOA),com 129 pessoas presas e 94 autos de infração que totalizam R$ 2.378.057,00 em multas.

“Os danos provocados pelo garimpo ilegal são permanentes e têm prejudicado toda sociedade e por isso as operações de fiscalização no rio Madeira devem continuar”, explicou Reis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário